Possível desfalque de Veríssimo pode obrigar Cuca a improvisar Yuri no Santos

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O técnico Cuca comandou o elenco do Santos em treino técnico nesta quarta-feira, no CT Rei Pelé, em Santos. A baixa foi o zagueiro Lucas Veríssimo, que não participou da atividade porque sente dores no joelho direito. O defensor é dúvida para o próximo compromisso da equipe no Campeonato Brasileiro contra a Chapecoense, às 20 horas da próxima segunda-feira, no estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Se Lucas Veríssimo não puder ser aproveitado por Cuca, o volante Yuri deverá ser improvisado para atuar ao lado de Gustavo Henrique na zaga. Robson Bambu ficará sem contrato neste sábado e não deverá ter o vínculo renovado, enquanto que Luiz Felipe se recupera de lesão na panturrilha. Outro candidato a preencher a vaga é José Sabino, zagueiro que atua pelo time B do Santos e costuma ser aproveitado em treinos da equipe principal.

Outros desfalques certos contra a Chapecoense serão o atacante Gabriel e o volante Diego Pituca, ambos suspensos. Um dos candidatos a preencher a vaga aberta no meio de campo é o meia costa-riquenho Bryan Ruiz, que entrou no segundo tempo dos últimos três jogos do Santos - contra Internacional, Fluminense e Palmeiras.

"Tem essa possibilidade, mas o Cuca tomará a decisão final", disse Bryan Ruiz em coletiva de imprensa nesta quarta-feira. "Eu estava sem ritmo quando cheguei, com o campeonato avançado, além de os jogadores estarem em um nível acima do meu. Eu acho que era mais complicado. O Pituca vem fazendo um trabalho muito bom. Se o Cuca quiser, posso jogar na posição dele. Não tenho muita marcação defensiva, mas minhas condições podem encaixar nisso", candidatou-se o costa-riquenho, que pode ser escalado de meia, opção que obrigaria o uruguaio Carlos Sánchez a desempenhar uma função mais recuada.

Apesar da pouca participação em campo desde que foi contratado, em junho, Bryan Ruiz promete que ainda será útil ao Santos. "Não senti a pressão para ser o armador do time. Mas senti vontade de atuar, colaborar com os colegas. O time está em outra situação desde que eu cheguei. Não era normal ficar em 17.º lugar. Quero ser uma peça importante, deixar uma boa imagem aqui. Tenho a certeza que posso ficar. Os cinco primeiros meses aqui não foram fáceis, mas vou fazer coisas importantes", garantiu o meia.

Notícia