Trump comemora resultado de eleições e diz pode haver bipartidarismo positivo

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


São Paulo, 07/11/2018 - O presidente dos EUA, Donald Trump, comemorou o resultado das eleições de meio de mandato em seu país, afirmando que a eleição marca o maior avanço no Senado para governistas desde pelo menos 1962. Segundo ele, pode haver situação bipartidária positiva, após os democratas retomarem o controle da Câmara.

"Candidatos que apoiei tiveram grande sucesso na noite passada", disse Trump em coletiva de imprensa, acrescentando que "também conseguimos resultado positivo na Câmara, apesar de fatores como a mídia". Trump enalteceu ainda os resultados "incríveis" nas disputas para governador. "Controlamos a maioria dos governos no país".

De acordo com o presidente americano, pode haver uma situação bipartidária positiva no Congresso nos próximos dois anos e "espero trabalhar com os democratas em setores de infraestrutura e preços de medicamentos", disse, acrescentando que os democratas também concordam que muro na fronteira com o México é necessário.

O presidente americano também não deixou de enaltecer o desempenho de seu país, afirmando que a economia cresce como nunca antes. "Temos riqueza econômica e força militar também", afirmou.

Neste contexto, Trump destacou que os democratas não deve deixar de apoiar o acordo comercial entre o Canadá e o México. "Caso o governo fique parado, culpa será dos democratas". O líder dos republicanos expressou ainda o desejo de cuidar do clima, mas sem perder a competitividade com outros países.

Sobre a líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, Trump disse que ela "merece crédito por seu trabalho e espero trabalhar junto com ela".

Em relação às investigações contra ele, Trump afirmou que "não deram em nada" e que podem investigar democratas também, embora isso "não levaria a nada".

Notícia



Entre desaparecidos em incêndio há vários idosos

As autoridades da Califórnia divulgaram na quarta-feira, 14, os nomes de cerca de 100 pessoas das 228 que ainda estão desaparecidas - muitas delas com idades entre 80 e 90 anos -, em meio aos trabalhos de buscas de sobreviventes dos piores incêndios do Estado...