Lady Gaga e Serena Williams serão anfitriãs do baile do MET 2019

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


Anualmente na primeira segunda-feira de maio ocorre o baile de gala do MET, que reúne os nomes mais importantes do entretenimento norte-americano. Em na edição de 2019, que cai no dia 6, os anfitriões serão os cantores Lady Gaga e Harry Styles, a tenista Serena Williams, o estilista Alessandro Michele, da Gucci (marca que patrocina a mostra), e a editora da Vogue America Anna Wintour. O evento beneficente arrecada fundos para o Costume Institute, ala de moda do museu nova-iorquino, que faz exposições anuais.

No próximo ano, a mostra será dedicada a estética camp, uma forma exagerada e teatral de se comportar (e se vestir). Nela, será explorada a sua influência na cultura contemporânea e como os estilistas utilizam este estilo em criações bem-humoradas e disruptivas.

"A natureza camp e a subversão dos valores estéticos modernos foram frequentemente banalizadas, mas esta exposição irá revelar a sua profunda influência no mundo moderno", explica Max Hollein, Diretor do MET. "Traçando esta evolução e destacando seus principais elementos, a exibição irá incorporar a sensibilidade irônica deste estilo audacioso, que desafia os entendimentos tradicionais de beleza, e estabelecer o papel crítico que este gênero tem desempenhado na história da arte e da moda."

A mostra Notes on 'Camp' terá cerca de 175 objetos, incluindo vestimentas femininas e masculinas, assim como pinturas, esculturas e desenhos (do século 17 até a atualidade) e recebeu doações de criações Cristóbal Balenciaga, John Galliano (para Maison Margiela, Dior, e sua marca própria), Jean Paul Gaultier, Guccio Gucci, Demna Gvasalia, Marc Jacobs, Christian Lacroix, Karl Lagerfeld, Alessandro Michele, Franco Moschino, Miuccia Prada, Yves Saint Laurent, Jeremy Scott, Donatella e Gianni Versace e Vivienne Westwood.

Notícia



Volta à terra de Oz

Uma indisfarçável insegurança rondava, ainda que em doses menores, os produtores da T4F, no momento em que escolhiam o espetáculo que deveria ser o grande sucesso de 2016: será que um musical sobre os antecedentes da clássica O Mágico de Oz, ou seja, sobre a origem de Elphaba, a bruxa má, e Glinda, a boa, interessaria ao público brasileiro, apesar do enorme êxito conquistado na Broadway? Não parecia ser uma trama distante demais do nosso cotidiano artístico? O temor em pouco tempos se revelou injustificável - tão logo estreou no Teatro Renault, em março daquele ano, Wicked logo se consagrou como um dos trabalhos mais admirados pelos fãs nacionais, incentivando a criação de fãs-clubes que tornaram popstars do teatro musical brasileiro as duas protagonistas, Fabi Bang (Glinda) e Myra Ruiz (Elphaba)...