Trump confirma tarifas adicionais à China se houver retaliação

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, confirmou que vai seguir em frente com tarifas adicionais à China se a potência asiática retaliar as medidas adotadas por Washington. Autoridades do país já haviam ameaçado, em outras ocasiões, impor tarifas sobre outros US$ 267 bilhões em importações chinesas caso Pequim adotasse medidas retaliatórias.

Durante coletiva para anunciar a renúncia da embaixadora dos EUA na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, Trump também afirmou que a China quer fazer um acordo comercial com os americanos. Acrescentou, no entanto, que "disse que eles não estão prontos para isso ainda".

O republicano relevou, ainda, que o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, teve "boas reuniões" na China e uma "ótima reunião" na Coreia do Norte, por onde passou antes. Trump reforçou os progressos que tem sido feitos em relação à desnuclearização com os norte-coreanos e disse que a próxima reunião com o líder Kim Jong-un está sendo preparada neste momento.

Notícia