Polícia turca diz que jornalista saudita foi morto no consulado em Istambul

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


A polícia da Turquia acredita que o jornalista saudita desaparecido no início desta semana foi morto dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul e que seu corpo foi retirado do prédio, disseram autoridades turcas, em acusações que poderiam inflamar ainda mais as relações entre as duas potências regionais.

Uma autoridade turca disse que a polícia divulgaria provas neste domingo para apoiar sua avaliação de que o jornalista Jamal Khashoggi - um crítico da liderança saudita - está morto. Alguém no consulado tentou fazer com que seu corpo desaparecesse dentro do prédio, disse a autoridade.

"Não temos certeza de como isso aconteceu, mas acreditamos que o corpo de Khashoggi não saiu do consulado", disse o funcionário.

As autoridades sauditas, que disseram não ter nada a ver com o desaparecimento de Khashoggi, disseram no domingo que as acusações eram "infundadas".

Khashoggi, de 59 anos, entrou no consulado saudita em Istambul por volta das 13h (horário local) na terça-feira e nunca foi visto saindo, segundo sua noiva, Hatice Cengiz, que o acompanhou até a entrada do prédio, disseram as autoridades turcas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Notícia



'Coletes amarelos' devem precipitar desaceleração do PIB da França

A economia da França vai crescer a um ritmo mais lento no quarto trimestre que o originalmente projetado em virtude dos violentos protestos em todo o país, que acrescentam pressão ao presidente Emmanuel Macron para entregar uma resposta firme em um pronunciamento à nação altamente aguardado na noite desta segunda-feira...