Ventos e chuva do furacão Florence começam a chegar nas Carolinas do Norte e Sul

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


As faixas externas de vento e chuva do furacão Florence começaram a chegar na Carolina do Norte nesta quinta-feira, 13, conforme a enorme tempestade se move pela costa sudoeste dos Estados Unidos, prometendo inundar propriedades de 10 milhões de pessoas. As maiores velocidades registradas do fenômeno caíram de uma velocidade de 225 quilômetros por hora para 110 quilômetros por hora no início desta quinta, reduzindo o poder de destruição dos ventos de categoria 4 para categoria 2.

No entanto, meteorologistas alertam que a ampliação da tempestade e a probabilidade de que permaneça ao longo da costa por dias aumenta o risco de chuvas torrenciais. "A maior preocupação, como vimos no Harvey, é a enorme quantidade de chuvas", disse o chefe da divisão de previsão e análise tropical do Centro Nacional de Furacões.

No início da manhã, o centro do furacão estava a cerca de 275 quilômetros de Wilmington, na Carolina do Norte, e a 355 quilômetros de Myrtle Beach, na Carolina do Sul. Os ventos com força de furacão estavam soprando a 130 quilômetros por hora e ventos com força de tempestades chegaram a 315 quilômetros.

A principal estimativa é de que o olho do Florence chegue ao continente na tarde da sexta-feira, pairando sobre a costa no sábado, empurrando tempestades e despejando entre 50 a 75 centímetros de altura de água nos dois Estados.

Cerca de 5,25 milhões de pessoas vivem nas áreas sob alerta ou observação do furacão e outras 4,9 milhões moram em locais sob avisos de tempestades tropicais, disse o Serviço Nacional de Meteorologia. O diretor de meteorologia da Weather Underground, Jeff Masters, disse que o Florence pode eventualmente chegar à categoria 1, com ventos menores que 160 quilômetros por hora, mas os danos causados ainda estariam na casa de pelo menos US$ 1 bilhão.

Em furacões, a água mata mais pessoas do que o vento. No caso do Florence, chuva e tempestades toram o fenômeno extremamente perigoso.

O presidente dos EUA, Donald Trump, pediu à população que saia do caminho do furacão. "Não brinquem com isso. É (um furacão) grande", alertou.

O número de pessoas que fugiram ainda não é exato, mas mais 1,7 milhão de habitantes da Carolina do Norte, Carolina do Sul e Virgínia foram advertidas para deixar suas casas. Fonte: Associated Press

Notícia