UE rechaça críticas de Trump sobre comércio e defesa, antes de reunião da Otan

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


A União Europeia divulgou uma reação forte às críticas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre gastos com defesa, ressaltando os vínculos longínquos em segurança e advertindo os americanos para que não minem a aliança, um dia antes da reunião anual da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

As críticas "quase diárias" de Trump aos gastos da defesa na Europa ignoram o fato de que estes são bem maiores que os da Rússia e quase se igualam aos da China, afirmou nesta terça-feira o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, após o bloco e a Otan firmarem um acordo para aprofundar a cooperação.

Vinte e dois dos aliados europeus da Otan também são membros da UE. Eles investem na segurança comum da mesma maneira que os EUA, segundo Tusk, que lembrou a resposta europeia rápida aos ataques de 11 de Setembro em solo americano, incluindo o envio de tropas ao Afeganistão, onde 870 europeus foram mortos. "Dinheiro é importante, mas solidariedade genuína é ainda mais", afirmou Tusk. "América, considere seus aliados, já que vocês não têm tantos."

A UE tem elevado os gastos em defesa e também fortalece sua capacidade militar, além de melhorar sua mobilidade militar, de acordo com Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia, o braço executivo do bloco.

Ainda assim, Juncker disse que há "muito mais" a ser feito. Ele reiterou o compromisso da UE e disse que o bloco pretende ampliar seu gasto com defesa 22 vezes entre 2007 e 2021, para 27,5 bilhões de euros (US$ 32,1 bilhões).

Trump, porém, foi ao Twitter nesta terça-feira para criticar os aliados da Otan por seus gastos militares e por práticas comerciais supostamente injustas. Ele disse que os demais integrantes da Otan precisam elevar sua contribuição, enquanto os EUA devem reduzi-la. "Os EUA gastam muitas vezes mais que qualquer país a fim de protegê-los. Não é justo com o contribuinte dos EUA", afirmou Trump. "Além disso, nós perdemos US$ 151 bilhões em comércio com a União Europeia. Eles nos cobram grandes tarifas", afirmou.

A postura de Trump preocupa aliados europeus, especialmente porque ele se reunirá com o presidente russo, Vladimir Putin, em Helsinque após o encontro da Otan. A UE pediu que Trump observe o quadro mais amplo e perceba que os EUA não têm aliado melhor que a Europa. "Sempre vale a pena saber quem é seu amigo estratégico e quem é seu problema estratégico", afirmou Tusk. "Sr. presidente, por favor se lembre disso amanhã, quando nos reunirmos para o encontro da Otan, mas acima de tudo quando você se reunir com o presidente Putin." Fonte: Dow Jones Newswires.

Notícia



Putin e eu nos demos bem e "grandes resultados surgirão" após reunião, diz Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou em sua conta no Twitter nesta quarta-feira que teve um encontro positivo com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nesta semana em Helsinque, na Finlândia...