Fim do programa nuclear da Coreia do Norte é prioridade de segurança, diz Pompeo

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmou nesta quarta-feira que o fim do programa nuclear da Coreia do Norte é uma das prioridades de segurança dos Estados Unidos, neste momento. Pompeo foi sabatinado por deputados no Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes e enfatizou a necessidade de que se consiga o fim completo, verificável e irreversível do programa nuclear norte-coreano. "Um acordo ruim não é uma opção", garantiu.

Pompeo disse que, caso não exista um acordo, os EUA abandonarão o diálogo bilateral. O presidente americano, Donald Trump, tem uma reunião marcada com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, em 12 de junho. Ontem, Trump disse que, caso o encontro não ocorra nessa data, poderia ficar para depois.

O secretário dos EUA comentou também que o governo pretende responder de maneira "recíproca" à Venezuela, após o país sul-americano expulsar um diplomata americano, diante da condenação do governo de Trump à eleição do último domingo na qual Nicolás Maduro foi reeleito presidente. Os EUA denunciam o processo eleitoral como uma fraude.

Ainda segundo Pompeo, os EUA "não aceitarão" interferência da Rússia na eleição legislativa deste ano. Na eleição vencida por Trump, ainda é investigada a suspeita de que Moscou teria atuado para influenciar negativamente a campanha da rival do republicano, a democrata Hillary Clinton, ex-secretária de Estado.

Pompeo foi também questionado sobre um episódio de um possível ataque auditivo contra um funcionário do governo americano na China. Ele disse que está sendo informado sobre o episódio, similar a um caso anterior ocorrido em Cuba, e que o governo chinês prometeu colaborar na investigação.

Notícia



Partes do corpo de jornalista saudita foram encontradas, diz TV

Partes do corpo do jornalista assassinado Jamal Khashoggi foram encontradas, segundo noticiou nesta terça-feira, 23, a TV britânica Sky News, citando duas fontes que não foram identificadas...