China endurece limites ao comércio com Coreia do Norte, após sanções da ONU

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O governo da China anunciou um endurecimento nas restrições no comércio com a Coreia do Norte, decisão tomada no âmbito das sanções adotadas pela Organização das Nações Unidas para forçar Pyongyang a abandonar seus programas de mísseis e nuclear. Agora, Pequim estabeleceu um limite às ofertas de petróleo para os norte-coreanos e proibiu a importação de aço e outros produtos.

As medidas, anunciadas no fim da sexta-feira (hora local), se seguem às penalidades impostas pelo Conselho de Segurança da ONU após um teste de míssil balístico norte-coreano, em 29 de novembro.

O Ministério do Comércio afirmou que Pequim limitará as exportações de petróleo bruto e refinado para a Coreia do Norte e proibirá as vendas de aço e maquinário industrial. As importações norte-coreanas de alimentos, maquinário e alguns outros produtos estão proibidas.

A China é o principal parceiro comercial e fornecedor de energia da Coreia do Norte. Com isso, Pequim é um ator crucial para o sucesso dessas sanções. Fonte: Associated Press.

Notícia



Pelo Twitter, Trump defende Cohen e cita caça às bruxas da "mídia desonesta"

O presidente dos EUA, Donald Trump, acusou neste sábado o New York Times e a repórter Maggie Haberman de tentarem destruir seu advogado Michael Cohen e o relacionamento entre eles, na "esperança de que ele pule fora do governo", mas, segundo Trump, isso não irá acontecer...