O sorriso é contagioso

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir
O sorriso é contagioso
Foto: Arquivo pessoal

O sorriso é contagioso


“Comprimidos aliviam a dor, mas só o amor alivia o sofrimento”, essa frase do excelente filme Patch Adams – O amor é contagioso dá uma pequena mostra de como está a entrevista nesta edição. No filme, o personagem interpretado por Robin Williams descobre que o humor e o carinho podem fazer maravilhas e ajudar a curar pessoas hospitalizadas. Na vida, a entrevistada Aline Trevisan descobriu sua vocação em levar alegria a pessoas internadas e ao mesmo tempo encontrar forças para superar seus próprios desafios, nos dando uma lição de vida.

Quem é a Aline Roberta Trevisan?
Tenho 32 anos, sou costureira e boa em levantamento de garfo (risos). Sou bem caseira e meio desastrada (acho que muito desastrada), gosto muito de música, filmes e cinema. Fazer bagunça também é legal, acho que me destaco em ser palhaça (mais risos).
E quem é essa Jôanita?
Posso dizer com toda certeza que a Jôanita é a minha melhor parte, existe uma Aline antes da Jôanita e existe uma depois, completamente diferente, ela me abriu os olhos, me mostrou que temos que ter humildade sempre, ajudar o máximo que pudermos as pessoas, acho que ela me deixou mais humana, me ensinou a ter mais compaixão.
Qual a importância dos Hospitalhaços na sua vida?
A ONG Hospitalhaços fez com que a Jôanita existisse, então pra mim ela é importantíssima, me ajudou a aflorar meu lado mais humanizado. É complicado descrever o que sentimos né? Tem sentimentos que não têm explicação, por isso, tento me expressar da melhor maneira possível.
Como é a experiência de levar alegria a pacientes tão frágeis e debilitados dentro de um ambiente hospitalar?
Tem uma pessoa na ONG, o Néio ele sempre fala pra gente o seguinte: "Fazer uma criança feliz sorrir é fácil, fazer uma criança triste sorrir é um privilégio, agora fazer uma criança doente sorrir, é um milagre”! Então é essa a sensação, somos abençoados todas as vezes que fazemos alguém doente e com muitas dores sorrir.
Qual é o principal perfil dos pacientes?
Aqui em Cerquilho, graças a Deus são poucos pacientes internados, a maioria idoso, mas confesso que eles são uns encantos, impossível não se apaixonar por um senhorzinho ou uma senhorinha e querer levar embora pra casa.
Você se emociona com essa relação?
Já me emocionei várias vezes com os pacientes, eles sempre fazem algo inesperado, como falar que somos importantes ou até fazer um desenho nosso, eu ganhei um desenho de uma linda menininha e tenho até hoje guardado.
Na Santa Casa não podemos ter contato com toque nas pessoas por causa de contaminação, estamos lá pra ajudar e não piorar o quadro deles, então quando eles pedem um abraço, um aperto de mão ou até mesmo um beijo, ficamos sem reação às vezes é muito emocionante.
Como foi ser diagnosticada com câncer?
Sobre minha doença, é bem assustador se ver do outro lado, fiquei bem nervosa com tudo isso, tanto que meus cabelos caíram, mas fazendo parte de uma ONG que existe pra ajudar os pacientes, creio que me ajudou bastante, pensei assim, em vez de sofrer e chorar vou fazer diferente, vou tentar da minha maneira ajudar as pessoas, mostrar que não é tão ruim assim ficar doente, lógico que a saúde é muito importante, mas já que temos que passar por certas situações e doenças, vamos tentar tirar algo bom disso, então comecei a brincar com a situação.
O que te mantém firme e forte para continuar?
Rir dos problemas ajuda a solucionar, eles se tornam menores, mais fáceis de resolver, é isso que tento passar. Tenho muita fé, acredito que a fé resolve todos os problemas, esse é um dos motivos para levantar todos os dias e vencer.
Deixe uma mensagem aos que convivem com você e acompanham sua luta.
Li uma frase no Facebook esses dias muito interessante. “Se você não matar um leão por dia, amanhã serão dois”. Então é isso que quero que as pessoas levem com elas, tenham sempre fé e firmeza no que querem, pois assim alcançarão tudo que almejam, tem dia que é mais difícil mesmo, mas que graça seria se todos os dias fossem fáceis? Com as dificuldades que aprendemos a ser fortes.
Então sorria sempre. Tudo vai se resolver.

Notícia



6ª Edição da Maratona Tietê de Mountain Bike é sucesso de público

Tietê recebeu no último domingo (11) a 6ª Edição da Maratona Tietê de Mountain Bike, o qual reuniu 350 participantes de Tietê e de diversas cidades do estado de São Paulo em um percurso desafiador e inovador, e com grande estrutura...