Manchester City desperdiça muitos gols, mas ganha do Brigthon no Inglês e é 3°

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir




O Manchester City poderia comemorar uma goleada histórica diante do Brigthon, nesta quarta-feira, no Ettihad Stadium. Mas pecou na falta de pontaria de seus atacantes e teve de se contentar com um triunfo magro, por 1 a 0, que conduziu a equipe de Pep Guardiola ao terceiro lugar do Campeonato Inglês, com um jogo a menos.

Na 'caça' ao líder e rival Manchester United, o City sabia que não cabia espaço para perda de pontos em casa e partiu logo para o ataque. Como ocorrera diante do Chelsea, o belga Kevin de Bruyne foi logo perdendo chance clara, em um início sufocante da equipe.

Bernardo Silva, como falso centroavante, Foden e Mahrez, eram as apostas de Guardiola para furar a marcação do oponente, com Gabriel Jesus e Sterling na reserva. O argentino Agüero está em isolamento por causa de contato com uma pessoa com a covid-19 e foi desfalque mais uma vez.

De Bruyne se recuperou antes do intervalo com belo passe para Foden. Com o faro de gol apurado, o jogador abriu o marcador para alívio do City, aos 44 minutos, transformando domínio em vantagem no placar.

Se já havia desperdiçado boas chances nos primeiros 45 minutos, o City abusou da sorte na etapa final. Mahrez teve enorme chance de anotar o segundo e falhou. Logo depois, viu o Brigthon escapar ileso em um bombardeio ofensivo.

O goleiro Sanchez defendeu o chute de Gundogan e depois foi o travessão que impediu um golaço de Bernardo Silva. O português deu uma caneta em Ben White antes de finalizar. Mahrez voltaria a desperdiçar oportunidade de ouro. Não fez e irritou Guardiola, que optou por Gabriel Jesus em seu lugar.

O City soube segurar a vantagem nos minutos finais e subiu para os 32 pontos, quatro a menos que o Manchester United e um atrás do Liverpool, mas com um jogo a menos que a concorrência.

Notícia



Primeiro-ministro do Japão promete controlar a covid-19 e realizar a Olimpíada

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, prometeu nesta segunda-feira obter o controle da pandemia de coronavírus e garantir a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados no ano passado e com início previsto para 23 de julho...