Portaria da Ancine fixa indicadores e metas de desempenho até 30 de junho de 2021

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir




Fiscalização do cumprimento das Cotas de Tela e análise de projetos financiados pelo Fundo Setorial de Cinema estão entre algumas resoluções da nova portaria da Agência Nacional de Cinema - ANCINE, definida pelo diretor-presidente substituto Alex Braga Muniz, nesta sexta-feira, 29.

De acordo com o documento publicado no Diário Oficinal da União (DOU), a portaria fixou indicadores e metas de desempenho para a Ancine no período de 1º de julho de 2020 a 30 de junho de 2021.

Em 25 indicadores, Muniz estabelece uma agenda regulatória de diversos temas como registro de obras brasileiras produzidas no País e no exterior, apuração de denúncias, e elaboração de análise de impacto no segmento.

No segmento de fiscalização, o documento define parâmetros para acompanhar o cumprimento da cota de tela de conteúdo brasileiro em canais de TV.

O Fundo Setorial do Audiovisual também integra a portaria na seção fomento direto. O documento estabelece o andamento de análises de pedido de prorrogação no prazo para a 1ª exibição de projetos contratados pelo FSA.

Em 2019, proposta aprovada iria destinar 47% dos recursos (R$ 336 milhões) no Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Cinema Brasileiro (Prodecine), 42% (R$ 298 milhões) no Programa de Apoio ao Desenvolvimento do Audiovisual Brasileiro (Prodav) e 9% (R$ 68 milhões) no Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Infraestrutura do Cinema e do Audiovisual (Proinfra). O total dos recursos do Plano é de cerca de R$ 644 milhões.

A resolução completa está no link.

Notícia