À espera de Campos Neto, taxas de juros rondam estabilidade

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir




As afirmações lidas como mais "dovish" do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, seguiram ecoando na abertura dos negócios no mercado de juros nesta sexta-feira, 24, logo depois, a alta do dólar ante o real pressionava as taxas para um viés de alta. As oscilações, no entanto, são modestas e as taxas rondam a estabilidade, à espera de mais sinais de Campos Neto para o próximo Copom, em fevereiro. Ele participa de evento sobre política monetária em São Paulo, às 10h.

Às 9h30 desta sexta, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) estava em 4,375%, de 4,365% no ajuste de quinta-feira, 23. O DI pra janeiro de 2023 exibia 5,57%, mesma taxa do ajuste da véspera, enquanto o vencimento para janeiro de 2025 marcava 6,32%, mesma taxa do ajuste anterior.

Notícia



Agosto foi 5º mês consecutivo de superávit em conta corrente, destaca Rocha

O chefe do departamento de Estatísticas do Banco Central (BC), Fernando Rocha, destacou nesta quarta-feira, 23, que o superávit de US$ 3,721 bilhões nas transações correntes de agosto foi o quinto resultado positivo consecutivo do setor externo...