Bolsas de NY sobem após entrevista de Trump

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


As bolsas de Nova York fecharam em alta na sessão desta quarta-feira, 11, impulsionadas pelo setor de energia e pelo setor de serviços básicos (utilities). A entrevista coletiva do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, fez com que os mercados acionários americanos operassem com volatilidade e afetou, principalmente, o setor de saúde após críticas do bilionário à indústria farmacêutica.

O Dow Jones fechou em alta de 0,50%, aos 19.954,28 pontos; o S&P 500 avançou 0,28%, aos 2.275,32 pontos; e o Nasdaq subiu 0,21%, aos 5.563,65 pontos, renovando seu recorde de fechamento pela quarta sessão consecutiva.

A queda de empresas ligadas ao setor de saúde ocorreu após Trump dizer, em sua primeira entrevista coletiva desde que venceu as eleições presidenciais americanas, que os preços dos remédios estavam muito altos e reclamar que muitos medicamentos eram produzidos fora dos EUA. Com isso, a Perrigo caiu 6,87% e a Endo International perdeu 8,56%.

Segundo alguns analistas, a fala de Trump frustrou as expectativas. Os investidores esperavam que o presidente eleito americano desse mais detalhes sobre os investimentos que pretende fazer em infraestrutura e sobre os cortes de impostos que pode promover em seu governo. Na entrevista, Trump deu mais destaque a questões geopolíticas, como a relação entre os EUA e a Rússia após a divulgação de um relatório das agências de inteligência americanas apontando Moscou como o responsável por ataques hackers feitos a e-mails de pessoas ligadas à democrata Hillary Clinton durante as eleições presidenciais americanas.

Estrategista de investimentos da Edward Jones, Kate Warne afirmou que esperava que a coletiva de imprensa de Trump fornecesse mais detalhes sobre a agenda política potencial do bilionário. "Eu acho que é razoável a preocupação sobre o avanço das ações antes das mudanças de políticas que as pessoas estão esperando", disse Warne.

Durante o discurso, Trump disse esperar que a General Motors siga o exemplo da Fiat Chrysler e da Ford e passe a investir mais em fábricas nos EUA e deixe de lado suas operações no México. Com isso, os papéis da GM subiram 1,66%.

Já o setor de energia também operou em alta, influenciado, principalmente, pelos preços do petróleo, que abandonaram as perdas das duas últimas sessões e passaram a subir. A Chevron ganhou 0,83%; a ConocoPhillips avançou 3,14% e a ExxonMobil teve alta de 1,00%. (Com informações da Dow Jones Newswires)

Notícia



Ato em frente à casa de Temer em SP tem confronto com a PM

Um ato em frente à casa do presidente Michel Temer em São Paulo nesta sexta-feira, 28, foi dispersado após um confronto entre polícia e manifestantes...