Copom avaliou reduzir taxa para 13,25%

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O Banco Central chegou a cogitar reduzir a taxa básica da economia em 0,50 ponto porcentual - como a maioria dos analistas previa - na reunião realizada nesta quarta-feira, 11. O Comitê de Política Monetária (Copom), no entanto, entendeu que a ancoragem da inflação nos próximos dois anos já abre espaço para acelerar o movimento de corte da taxa Selic. Por isso, o BC surpreendeu a maioria do mercado financeiro.

"O Copom avaliou a alternativa de reduzir a taxa básica de juros para 13,25% e sinalizar uma intensidade maior de queda para a próxima reunião", cita o comunicado divulgado pelo Banco Central. "Entretanto, diante do ambiente com expectativas de inflação ancoradas, o Comitê entende que o atual cenário, com um processo de desinflação mais disseminado e atividade econômica aquém do esperado, já torna apropriada a antecipação do ciclo de distensão da política monetária", argumentam os diretores do BC. O Copom explica que, por isso, decidiu estabelecer um "novo ritmo de flexibilização".

A convergência da inflação para a meta de 4,5% ao ano, diz o BC, "inclui os anos-calendário de 2017 e, com peso gradualmente crescente, de 2018". O quadro, cita o BC, "é compatível com intensificação da flexibilização monetária em curso".

O comunicado do BC nota, contudo, que a "extensão do ciclo e possíveis revisões no ritmo de flexibilização continuarão dependendo das projeções e expectativas de inflação e da evolução dos fatores de risco".

Notícia



Maia minimiza placar apertado e diz que haverá quórum para votação de reformas

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), minimizou nesta quinta-feira, 23, o placar apertado da votação do projeto de lei que permite terceirização irrestrita em empresas privadas e no serviço público...