Islândia tem novo governo e pode retomar negociações para entrada na UE

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O Partido Independência, de centro-direita, conseguiu nesta quarta-feira formar uma coalizão de governo na Islândia, com as siglas menores Reforma e Futuro Brilhante. Com isso, o país superou um impasse de quase três meses após uma eleição que não teve um vencedor claro.

Juntos, os três partidos controlarão 32 das 63 cadeiras do Parlamento, uma maioria mínima. O líder do Partido Independência, Bjarni Benediktsson, foi nomeado primeiro-ministro. O líder do Reforma, Benedikt Johannesson, será o ministro das Finanças.

Benediktsson já havia dito na terça-feira que o novo governo deseja que o Parlamento vote se o país deve voltar a negociar sua entrada na União Europeia. A Islândia havia pedido para entrar no bloco em 2009, mas retirou o pleito em 2015.

Na eleição de 29 de outubro, o radical Partido Pirata, que defende a democracia direta e a liberdade digital, conseguiu 10 cadeiras no Parlamento. A maioria dos islandeses, porém, votaram por continuidade, já que o Partido Independência fez parte do governo anterior.

Benediktsson foi ministro das Finanças no governo anterior. O ex-premiê Sigmundur David Gunnlaugsson renunciou após o vazamento de detalhes sobre contas dele, no caso dos Panamá Papers. Benediktsson também foi citado no mesmo caso como tendo uma fatia de uma companhia de investimentos sediada nas Ilhas Seychelles. Fonte: Associated Press.

Notícia



May defende sua proposta para cidadãos da UE que vivem no Reino Unido

A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse nesta sexta-feira que o seu plano para os cidadãos da União Europeia que moram em solo britânico é "sério e justo", mas reconheceu o "Existem algumas diferenças entre a nossa oferta e a proposta que a Comissão Europeia emitiu", disse May, em uma coletiva de imprensa durante a cúpula da UE em Bruxelas...