Leonardo Vieira desabafa: 'homofobia não leva ninguém à cadeia'

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


O ator Leonardo Vieira, envolvido em uma polêmica após algumas fotos suas beijando outro homem terem se espalhado na internet e terem feito com que fosse ofendido e hostilizado, fez uma carta aberta esclarecendo a situação e condenando a homofobia presente na sociedade brasileira.

Leonardo também revelou que fez uma visita à Comissão de Direitos Humanos do Rio de Janeiro, e aproveitou também para agradecer artistas conhecidos do público que são assumidamente homossexuais, como Ricky Martin, Marco Nanini e Daniela Mercury.

Na carta, classifica o episódio como um "presente" para poder tirar das costas algo que o vinha fazendo sofrer, e também revela que seus familiares e amigos são cientes de sua orientação sexual desde que ele era muito jovem: "Não estou 'saindo do armário', porque nunca estive dentro de um". "Como eu poderia ser símbolo sexual para tantas meninas e mulheres quando a minha sexualidade na 'vida real' apontava em outra direção? ... A pressão era enorme de todos os lados, eu não sabia o que fazer e acabei não me declarando publicamente, mantive uma vida discreta e tratei o assunto em meio a círculos de amizade, trabalho e família como algo natural", conclui.

"Essa carta aberta não é um pedido de desculpa, pois não acho que deva pedir desculpas por ser gay. Pelo contrário: sempre tive orgulho de ser quem eu sou. Essa carta é um manifesto contra a homofobia. Descobri estupefato que homofobia não leva ninguém à cadeia", escreveu, inconformado com o fato de o preconceito no País não gerar a punição que considera adequada.

Notícia



Romário convidará Anitta e Valesca Popozuda para audiência no Senado

O senador Romário Faria (PSB-RJ) convidará alguns dos principais nomes do funk no Brasil, como Anitta, Valesca Popozuda, Bochecha e Tati Quebra Barraco, para participar de uma audiência no Senado Federal...